A PAZ

Somos pobres de paz.

A paz a que se referem as manifestações públicas é quase sempre relativa a combate as indisciplinas, a violência, as drogas.

Mas pouco se luta pela paz que é a mãe das outras: a paz interior.

Aumente a sua paz.

Você constrói a paz a cada momento.

A de ontem já não é a mesma de hoje.

A de amanhã não será a de hoje.

E para construir esta, você precisa da de ontem e da de hoje.

A paz cresce, como uma criança.

Não deixe ser pequena, anã, raquítica.

Faça-a grande, forte, robusta. Se abalada, recomponha-a o mais rápido que puder.

Ela é a porta que se abre para que novos ares lhe adentrem a alma.

A paz cresce com o seu amor de cada dia.

Fonte: Livro “Toques de Luz” – Autor: Lourival Lopes

“A doce paz é uma estrada de renúncia e persistência.” Nando Cordel

 

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *