ESTAR SÓ

Permita-se, vez por outra, estar só.

Desconecte-se momentaneamente das pessoas, dos ambientes rotineiros, das preocupações e, refugiando-se em si, tente perceber-se.

Verifique suas carências, avalie o que de fato é vital para o seu bem-estar e o que se trata de ilusão, coisa passageira, perfeitamente contornável.

Há quem não consiga por breves instantes que seja, ficar a sós, transparecendo ser insuportável a própria companhia.

Naturalmente porque arrasta questões emocionais ainda não resolvidas.

Estar só implica priorizar-se, ouvir-se, conversar consigo, amar-se, até para que possa estar de forma plena com os outros.

Não receie se encontrar consigo.

Mate as saudades do velho amigo que há dentro de você, abraçando-se, aceitando-se, amando-se.

Somente assim você poderá estar inteiro em suas relações e ser muito mais feliz do que tem sido.

Fonte: Livro “Convivendo com Você” – Autor: Cézar Braga Said

Comentários encerrados.