Audio

EU ACREDITO – I BELIEVE

Play/Pause

Eu acredito
Um dia eu vou ouvir
O riso das crianças
Em um mundo onde a guerra foi
proibida.

 

Um dia eu vou ver
Homens de todas as cores
Partilhando palavras de amor e devoção.

 

Levante-se e sinta
O Espírito Santo
Encontre o poder da sua fé.

 

Abra seu coração
Para aqueles que precisam de você
Em nome do amor e devoção.

 

Sim, eu acredito.

 

Eu acredito que as pessoas
De todas as nações
Se unirão e cuidarão umas das outras
Por amor.

 

Eu acredito em um mundo
No qual a luz nos guiará
E dando o nosso amor
Nós vamos fazer o céu na terra.

 

Eu acredito que as pessoas
De todas as nações
Se unirão e cuidarão umas das outras
Por amor.

 

Eu acredito em um mundo
No qual a luz nos guiará
E dando o nosso amor
Nós vamos fazer o céu na terra.

 

Sim, eu acredito.

 

Eu acredito que as pessoas
De todas as nações
Se unirão e cuidarão umas das outras
Por amor.

 

Eu acredito em um mundo
E dando o nosso amor
Nós vamos fazer o céu na terra.

 

Eu acredito

 

Fonte: Álbum: “The Very Best Of Era” – Autor: Eric Levi

MARIA ATRAVÉS DOS TEMPOS

msg 1310

Maria, há dois mil anos, é uma figura controvertida no Cristianismo. Alternadamente elevada ou diminuída na hierarquia da Igreja Católica, adorada ou banida da Protestante, Maria pertence ao povo, não aos sacerdotes. A paixão e a fé que ela inspira continuam impecáveis. A maior de todas as Mães, e a, mais formosa delas, Maria inspira mais de dois bilhões de Ave-Marias, diariamente, no planeta. De quase desconhecida, sua personalidade cresceu e suas aparições no último século deste milênio vieram advertir sobre a necessidade da conversão, da oração e da meditação para que o mundo não se destruísse a si mesmo através de guerra estúpida, do holocausto nuclear, do materialismo sem consciência ecológica e da falta de amor entre os seres humanos. Seja em Lourdes, que já recebeu a visita de cinco milhões de pessoas, para beber de suas águas milagrosas, seja em Guadalupe, onde mais de dez milhões já se ajoelharam para ouvir seus conselhos, seja em Mejugorge, onde ela apareceu exatamente dez anos antes da fratricida guerra empreendida pelo governo sérvio contra o desejo de libertação de Croatas e Bósnios, sua mensagem sempre foi a da Rainha da Paz, pedindo paz, chorando pela desgraça que antevia.
O conselho de Éfeso, em 431 Antes de Cristo, proclamou-a a Mãe de Deus, após uma discussão de dois séculos sobre sua virgindade. Éfeso abrigava o maior templo em louvor à deusa Diana ou Ártemis, e diz-se que o povo gritava, saudando Maria: “Ela é a Deusa, ela é a Deusa!” O caso é que o mito da Mãe Virgem vem da Antiguidade grega, e se formos estudar mais além, essa idéia vem do culto da Grande Mãe, no começo da história do mundo. Cada geração “reinventa” Maria, com novas definições, novas interpretações. Por exemplo, a Anunciação. Antes colocada como passiva e serva da vontade do Senhor, agora Maria é vista como uma mulher independente, a quem o senhor mandou consultar através do Anjo Gabriel. Se ela recusasse, como Eva fez, todo plano de salvação divina deveria ser alterado.
Maior inimiga do demônio, na Idade média eram feitos cantos em sua homenagem contando milagres onde ela salvava peregrinos incautos ou religiosos vítimas de tentação. Hoje, em suas aparições e profecias, ela diz que satanás está presente no mundo na forma da discórdia e da guerra, e em cada momento em que perdemos a paciência e ficamos irados com alguém. Sua mensagem em todas as aparições é pela paz e pelo entendimento. Maria diz que o plano do mal é destruir, literalmente, o planeta Terra, com a ajuda da estupidez humana…
Nos últimos 150 anos, o Vaticano instituiu os dogmas da sua Imaculada Concepção, isto é, que ela já nasceu pura e livre do pecado desde que veio ao mundo, e da sua Ascensão aos Céus, vinte anos depois da morte e ressurreição de seu filho.
No concílio de 1962/65, no Vaticano, ela foi rebaixada pelo clero liberal e progressista, e em muitas igrejas dos Estados Unidos, sua imagem desapareceu dos altares das igrejas. Ela voltaria em 1969, quando o Papa Paulo VI requereu que todos os livros sobre aparições fossem pré-aprovados pelo Vaticano. Ao mesmo tempo, ele colocava Maria como “a representante da luta contra a opressão da mulher”. Mas foi com o Papa João Paulo II que Maria teve seu brilho e aura divina devolvidos. Devoto de Maria, amigo da congregação Mariana, o papa atribuiu ter se salvo do quase assassinato em 1981, quando foi ferido por um atirador, a um milagre da Virgem Santíssima. O incidente com o papa aconteceu exatamente no dia do aniversário do reconhecimento pela igreja da aparição de Fátima, e João Paulo acredita que o milagre de ter escapado, à intervenção de Maria.
Maria também é louvada no Alcorão, que a cita 34 vezes, como a Mãe de Jesus. Louvada ou diminuída, Maria está cada vez mais universal, mais participante, mais presente em todas as culturas do mundo. Protetora, mãe, arquétipo feminino, ela se torna, mais e mais, a Mãe do Mundo, o lado feminino de Deus, transcendendo ideologias e religiões. E seu nome se torna, cada vez mais, sinônimo de Mãe.
MÃE MARIA

Fonte: Coleção Anjos – Maria Rainha da Paz 

ORAÇÃO A NOSSA SENHORA APARECIDA

msg 1210

Ó incomparável Senhora da Conceição Aparecida,
Mãe de Deus, Rainha dos Anjos,
Advogada dos pecadores,
refúgio e consolação dos aflitos e atribulados,
Virgem Santíssima,
cheia de poder e de bondade,
lançai sobre nós um olhar favorável,
para que sejamos socorridos por vós,
em todas as necessidades em que nos acharmos.
Lembrai-vos, ó clementíssima Mãe Aparecida,
que nunca se ouviu dizer
que algum daqueles que têm a vós recorrido,
invocado vosso santíssimo nome
e implorado a vossa singular proteção,
fosse por vós abandonado.
Animados com esta confiança,
a vós recorremos.
Tomamo-vos para sempre por nossa Mãe,
nossa protetora, consolação e guia,
esperança e luz na hora da morte.
Livrai-nos de tudo o que possa ofender-vos
e ao vosso Santíssimo Filho, Jesus.
Preservai-nos de todos os perigos
da alma e do corpo;
dirigi-nos em todos os assuntos espirituais e temporais.
Livrai-nos da tentação,
para que, trilhando o caminho da virtude,
possamos um dia ver-vos e amar-vos
na eterna glória, por todos os séculos dos séculos.
Amém.

 

NOSSA SENHORA APARECIDA

nossa20senhora

 

Não bastasse ser um dos maiores países católicos do planeta, o Brasil tem também um dos maiores centros de peregrinação mariana da cristandade do mundo. Trata-se, é claro, do Santuário de Nossa Senhora Aparecida, em Aparecida, São Paulo. A cidade foi batizada com o nome da Senhora, “aparecida” das águas, mas o Brasil inteiro também recebeu sua bênção desde o nascimento, graças aos descobridores e colonizadores que a tinham como advogada junto a Deus nas desventuras das expedições. A fé na Virgem Maria cresceu com os séculos e a confiança não esmoreceu, só se fortaleceu.

Em 1717, quando da visita do governador a Guaratinguetá, foi ordenado aos pescadores que recolhessem do rio Paraíba a maior quantidade possível de peixes, para que toda a comitiva pudesse ser alimentada e festejada com uma grande recepção. Todos se lançaram às águas com suas redes. Três deles, Domingos Garcia, João Alves e Filipe Pedroso, partiram juntos com suas canoas e juntos também lançaram as redes por horas e horas, sem pegar um único peixe. De repente, na rede de João Alves apareceu o corpo da imagem de uma santa. Outra vez lançada a rede, e a cabeça da imagem vem também para bordo. A partir daí, os três pescaram tanto que quase afundaram por causa da quantidade de peixes.

A pesca, milagrosa, eles atribuíram à imagem da santa. Ao regressarem foram para a casa de Filipe Pedroso e, ao limparem a imagem com cuidado, viram que se tratava de Nossa Senhora da Imaculada Conceição, de cor escura. Então, cobriram-na com um manto e a colocaram num pequeno altar dentro de casa, onde passaram a fazer suas orações diárias. A novidade se espalhou e todos da vizinhança acorriam para rezar diante dela. Invocada pelos devotos como “Aparecida” das águas, durante quinze anos seguidos, a imagem ficou na casa da família daquele pescador.

A devoção foi crescendo no meio do povo e muitas graças foram alcançadas por todos aqueles que rezavam diante da imagem. Eram tantos os devotos que acorriam ao local que, em 1732, a família de Filipe construiu o primeiro oratório. Mas a fama dos prodigiosos poderes de Nossa Senhora Aparecida foi se espalhando até atingir todos os recantos do Brasil. Assim, foi necessário, então, construir uma pequena capela, em seguida uma sucessão de outras capelas cada vez maiores. Até que o local se tornou a cidade de hoje. Em 1888, houve a bênção do primeiro templo, que existe até hoje, conhecido como “Basílica Velha”.

A primeira grande peregrinação de católicos “de fora”, oficial e historicamente registrada, aconteceu em 1900. Eram mil e duzentos peregrinos viajando de trem desde São Paulo, liderados por seu bispo. Atualmente, são milhões de peregrinos vindos, diariamente, de todos os estados do país e de várias outras nações católicas, especialmente das Américas. A atual Catedral-Basílica de Nossa Senhora Aparecida, conhecida como “Basílica Nova”, foi consagrada pessoalmente pelo papa João Paulo II, em 1980, quando de sua primeira visita ao Brasil.

Quanto ao amor do nosso povo por Maria, em 1904 a imagem foi coroada, simbolizando a elevação da Senhora como eterna “Rainha do Brasil”, com todo o apoio popular. A coroa foi oferecida pela princesa Isabel. Foi também por aclamação popular e a pedido dos bispos brasileiros que, em 1930, o papa Pio XI proclamou solenemente Nossa Senhora Aparecida a “padroeira oficial do Brasil”. O dia de sua festa, 12 de outubro, desde 1988 é feriado nacional.

Fonte: www.paulinas.org.br/diafeliz/?system=santo

COOPERAÇÃO

msg 1110

Com quem você coopera?

 

Cooperar é mais importante que competir!

 

Há inúmeras modalidades esportivas onde a competição é necessária e até estimulante.

 

Defender as cores do clube e do país, com esforço e dedicação, representam um admirável exemplo de amor. Mas ainda aí, é preciso reconhecer que o atleta, ao vencer, superou seus próprios limites e,por conseqüência, os demais competidores e não o inverso.

 

Se a vida pela óptica capitalista é competição, concorrência e lucro, pela cooperativista é fraternidade, união e auto-superação.

 

Os órgãos do nosso corpo, embora realizem tarefas distintas, contribuem para a saúde e harmonia de todo o organismo. Juntos, os nossos sentidos nos colocam em relação com o ambiente; o nascimento de uma criança se dá pela junção de dois seres (pelo menos convencionalmente); Jesus elegeu um colégio apostólico para cumprir a sua missão junto aos homens, e mesmo a tão propalada “seleção natural” encerra exemplos curiosos de cooperação nos reinos da Natureza.

 

É certo que uma empresa necessita ser competitiva para ganhar uma fatia no mercado e um empresário precisa ser empreendedor, ter visão de vanguarda, liderança, etc. Entretanto, essa empresa poderá ser rentável sem poluir, competitiva sem sonegar e explorar seus funcionários, colaborando para o bem-estar da sociedade como um todo.

 

A cooperação é uma atitude que gravita acima da competição.

 

Somente quem é forte, corajoso e destemido colabora. As pessoas mesquinhas, invejosas e rígidas enxergam na competição um fim em si mesmo e não um mecanismo de emulação, de estímulo à ação e à realização.

 

Cooperar implica em mudar valores e compreender a vida por um ângulo desconsiderado pelas normas e convenções sociais. Não dispensa esforços, lutas interiores, diálogos constantes. Esbarra,também, em dificuldades e obstáculos, mas tem como base o trabalho conjunto, o auxílio mútuo, onde um supre as deficiências do outro.

 

Socializar uma informação, repartir os sucessos, os lucros, os louros da vitória, auxiliar e respeitar os que começam e mesmo silenciar quando nossa palavra nada possa somar são formas de cooperarmos para a felicidade do grupo onde nos inserimos e com o qual fomos chamados a conviver.

 

No ambiente familiar, no templo religioso, no grupo de amigos, no local de trabalho, sempre surgirão oportunidades de conhecermos os outros, ao mesmo tempo em que vamos nos conhecendo. E o nível de cooperação de uma pessoa com as demais é também um importante diferencial para conhecermos seu caráter e seu coração.

 

“ Não existe um problema que não ofereça uma dádiva para você “           (Richard Bach) .

 

Fonte: Livro: “Conversando com Você” – Autor: Cezar Braga Said